Tribo Fashion

Mês: junho, 2012

Estilo: Rachel Zoe

 

Você provavelmente já ouviu falar de Rachel Zoe, a mais importante stylist dos Estados Unidos (do mundo, arrisco a dizer). Se não ouviu, provavelmente já se interessou por alguma de suas produções. Ela é responsável pelo styling de muitas celebridades. Além disso, Rachel tem um reality show sobre sua vida (já ta na 4ª temporada – toda terça-feira, às 20hrs, no glitz*), um livro (best-seller) lançado em 2007 e um filho lindo, Skyler. 

Rachel é responsável por vestir celebrities como Anne Hathaway (musa mor!), Eva Mendes, Cameron Diaz, Jennifer Garner, Molly Sims, Erin Wasson e muitas outras. Já foi responsável também por Lindsay Lohan e Nicole Richie, Mischa Barton, Keira Knightley, Kate Hudson e Kate Beckinsale. Ufa! Lista enorme, hein? Rachel cobrava há dois anos atrás (não encontrei o valor atualizado) entre US$4.000,00 e US$6.000,00 por um dia de trabalho, mais os custos com assistentes.

A stylist tem uma coleção de bolsas Hermès, de cores e modelos e diferentes (mas por falta de fotos com boa qualidade, uma birkin e uma kelly procês). Rachel é sempre glamourosa e com uma pegada 70’s, é uma das precursoras do estilo BoHo Chic, junto com Nicole Richie. Adora calças pantalona e botas (muitas!), principalmente as que ultrapassam os joelhos, conhecidas como “over the knee” (dãã).

Sempre que pode, faz uso de chapéus ou gorros e sempre, sempre ta de óculos. Zoe também está sempre acompanhada por bons acessórios, que arrematam seus looks com graciosidade, deixando tudo mais harmonioso. Perceberam que Rachel usa muito preto? Poderia ficar “boring”, mas ela dá um jeito de ficar extremamente elegante e fashion!

Apesar de todo o seu talento, tem um defeito: usar peles verdadeiras. Sendo assim, é odiada pelo PETA (tenho abuso do PETA). E são várias, que ela vive usando!

Rachel está sempre impecável e acho que é nesse tipo de pessoa que devemos nos inspirar. Aliás, a própria Rachel fala sobre isso. Vamos tentar seguir?

 

 

 

 

Inspiração: Polka Dots

Foto: Reprodução

Inspiração: dia chuvoso

 

Fotos: Reprodução

Sobre looks e seus valores

Já leram o post incrível da Carla Lemos (modices) sobre looks do dia? Não, então vai lá e depois volta aqui. Leu? Então vamos continuar. Carla escreveu sobre a “inadequação” de alguns looks com a idade de algumas blogueiras. Meninas de 20 se vestindo como mulheres de 40. O texto me levou a outra reflexão, o valor dos looks.

Todos associam moda a luxo. Quem trabalha no setor diz que isso não existe, até que apareça alguém com uma peça de roupa de uma fast fashion qualquer e todos façam cara de nojinho – Você, que trabalha na área, deve estar dizendo: “Claro que não é assim!”, mas pense bem e verás que é assim,sim -, essa é a nossa realidade. As blogueiras usam looks caríssimos, sejam eles presente de alguma marca ou não. Comprar produtos de luxo é sempre bom, mas tudo tem um limite. Não faz sentido uma t-shirt básica custar R$300,00. Não faz sentido um short custar R$4.000,00. E sabe o que faz menos sentido? Os consumidores aceitarem esses preços. Quando a peça é importada, consideramos as taxas (exorbitantes) de importação, mas e quando não é? Não deveríamos aceitar esses preços, não deveríamos pagar por esses preços.

As blogueiras exibem um padrão de vida que não se encaixa na realidade brasileira. Com isso, muitas meninas, que não percebem isso, querem uma vida igual a dessas blogueiras. Criam blogs, se endividam, tudo em busca de atenção. Sendo assim, não vemos criatividade e sim, uma cópia de looks. Um grupo (grande!) de leitoras começou a achar que o normal é usar short de R$4.000,00 e t-shirt de R$400,00. Não é. Esse é um privilégio de uma pequena parcela da população.

Os preços absurdos, em tese, são culpa dos impostos (rolou até protesto, por parte dos estilistas, na SPFW). Segundo dizem, 54% do valor de todas as peças é só imposto. Pra mim, vai além! É muito estilista nacional achando que é “Chanel” ou “Yves Saint-Laurent”. Não estou desmerecendo os estilistas brasileiros. Acho que fazem um bom trabalho, mas o “sucesso sobe à cabeça” na hora de determinar o preço das peças. Pior ainda são as marcas recém-chegadas ao mercado, com peças feitas de material barato, querendo cobrar caro. Não é assim que a coisa deveria funcionar. Paga-se caro por cópias. Falta identidade (cultura brasileira) na moda nacional. No Brasil, pagar caro é sinal de status (pra mim, é sinal de burrice mesmo!). As pessoas não questionam os preços, é “feio”. Feio é não questionar.

Moda não é sobre preços. É sobre inspiração, criatividade, arte!! Pagar caro não significa estar na moda, muito menos copiar. Procure por novas fontes de inspiração, vá além dos blogs e revistas, entre em novas lojas, ultrapasse preconceitos!

Inspiração: tiras!

Foto: Reprodução

Murphy me ama!

Conforme contei pra vocês no último post, andava sem postar pela falta de internet. Pois bem, a internet voltou, mas o carregador do meu notebook queimou e os carregadores do MacBookPro estão em falta no Brasil, conforme Thereza (Fashionismo) contou recentemente. Vou ver se consigo algum emprestado ou algo assim, daí voltamos com os posts. Pelo celular, NÃO DÁ!!! hahah
Desculpa meninas, volto logo!

Inspiração: Gloria Baume

Desde que vi esse look da Gloria Baume, no livro The Teen Vogue Handbook (comprei há cerca de um mês, atrasada, eu sei!), tenho vontade de sair assim. Não sei se é porque ando fascinada por rosa, se foi a junção do rosa com esse bronzeado invejável dela, se foi tudo isso mais a bicicleta (ando apaixonada por bicicletas) ou se é aquele “je ne sais quois” inexplicável de toda “it girl”.

Ando louca atrás de uma saia e sapatilha rosa pra andar por aí “fantasiada” de Gloria Baume, substituindo o colete por uma parka. O que acham?

 

Retorno dos clássicos: tweed

O tweed é um tecido grosso e “áspero”, feito com tramas de lã. O nome é devido ao rio Tweed, onde foi criado. O tecido só se tornou famoso na moda depois que Coco Chanel, em 1928, o incorporou em uma de suas coleções, usando para fabricar o famoso tailleur (conjunto de saia + casaqueto, criado no século XVIII). Os “casacos” de tweed viraram um clássico no guarda-roupa da mulher do século XX e estava “esquecido” há alguns anos no guarda-roupa fashion. Até que numa dessas reviravoltas da moda, eles voltaram!

Apesar de ser um clássico, o casaco de tweed é bastante “eclético”, passeando perfeitamente por variados estilos. Por isso, acho que não fica com cara de “forçação de barra”. Sabe quando a pessoa usa algo que não tem nada a ver com o estilo, mas usa porque é tendência? Então, acho que com o tweed não acontece isso, ficando mais interessante ainda.

Para deixar o look mais atual, a melhor escolha são os casacos coloridos. Além de atualizar, tira um pouco da aparência de “clássico”.

E para as que desejam ficar mais modernosas, a Zara lançou um modelo com zíper lateral. Sucesso em quase todos os blogs de look, no exterior.

E na madrugada dessa sexta (15/06), a top Aline Weber apareceu no Programa do Jô usando casaco de tweed, que tinha TUDO para ser o clássico dos clássicos, não fosse pelas franjas coloridas. Ficou ótimo!!!

P.S.: Tô achando que a Aline fez alguma plástica coisa no nariz. Sou a única?

Pra inspirar: Parka

Sunflower, da Kiehl’s

Nunca dei importância ao shampoo que usava, podia ser qualquer um que limpasse os fios com decência. Sempre dei mais atenção ao condicionador. Acho que todo mundo pensa assim: o que hidrata é o condicionador, mas não. Demorei a entender isso, talvez a culpa seja do desespero.

Já falei mais de uma vez por aqui, meu cabelo anda muito ressecado e não tem moroccan oil que dê jeito. Foi então que percebi que não bastava comprar 37 condicionadores diferentes e um shampoo qualquer. Resolvi procurar um shampoo que ajudasse a hidratar o cabelo. Vi vídeos no youtube, procurei em sites e blogs, li resenhas, vi fotos, mas foi numa conversa com a (querida!) Camila Becker, do (excelente!) Florença, via twitter que tudo mudou. Comentei por lá (twitter) que queria comprar o Superbly Smoothing Argan Shampoo, da Kiehl’s, e ela me contou sobre sua experiência com a marca. Estava em dúvida entre o Superbly e o famosíssimo, Amino Acid. Na Sack’s, só tinha o Superbly em tamanho pequeno (especial para viagens). Camila recomendou que eu fosse até a loja da Kiehl’s e conversasse com uma das vendedoras, super bem treinadas.

Hoje fui até a loja do Shopping Leblon (fica no 1˚ piso, onde era a loja da Schutz, bem em frente ao Starbucks) e pedi à vendedora (super simpática!) o Superbly. Foi quando ela me informou que tinha acabado e só tinha o tamanho pra viagem, já ia virar pra ir embora, quando ela perguntou se meu cabelo era pintado, respondi que sim e ela falou que o Sunflower Color Preserving Shampoo seria melhor para o meu cabelo, por ser específico para cabelos tingidos.Contou também que cabelos assim têm fios porosos e que o Sunflower ajuda a fechar a cutícula e ajuda na hidratação, com isso o cabelo fica mais “equilibrado”.

Cheguei em casa e corri pro banho. Usei o shampoo (duas vezes) e a máscara de tampa marrom da Moroccan Oil como condicionador. Não consigo explicar o tanto que meu cabelo está sedoso, leve, soltinho. Uma maravilha!!! O único defeito pra mim, é que precisa de muito produto para que o cabelo fique realmente limpo (nada exagerado, apenas mais do que estou acostumada) e achei o frasco pequeno para o preço, fora isso, recomendo!!

Consegui a lista das lojas Kiehl’s no Brasil:

Rio de Janeiro:

Shopping Leblon 

Av. Afrânio de Melo Franco, 290 – LJ 112N

Tel.: (21) 2239-0049

Barra Shopping

Av. das Américas, 4.666 – LJ207H

Tel.: (21) 2431-8835

Galeria Fórum de Ipanema (do lado da Farm, em frente a Praça Nossa Senhora da Paz)

R. Visconde de Pirajá, 351 – LJ118

Tel.: (21) 2227-2773

Fashion Mall

Est. da Gávea, 899 – 2˚ Piso – LJ 214D

Tel.: (21) 2420-4956

 

São Paulo:

Shopping Iguatemi

Av. Brig. Faria Lima, 2232 – LJ 02

Tel.: (11) 3031-1633

Shopping Higienópolis

Av. Higienópolis, 618 – LJ 308

Tel.: (11) 3661-9139

Morumbi Shopping

Av. Roque Petroni Júnior, 1089 – LJ 85/86

Tel.: (11) 5181-7105

 

Belo Horizonte:

Shopping Pátio Savassi

Av. Contorno, 6061 – LJ 317

Tel.: (31) 3281-7479

BH Shopping

BR 356 – N˚ 3049 – LJ MA55B

Tel.: (31) 3264-0035

 

P.S.: A ausência de posts é culpa da NET, que me deixou sem internet todos esses dias.