Turbantes: Defendendo a “classe”

por Alexia Chlamtac

Dessa vez serei breve, nada de post longo.

Algo pipoca em minha timeline nos últimos dois dias: “turbantes serão tendência”, “vejo todo mundo usando turbantes em uma semana”, graças a nova novela das 23hrs, O Astro. Mas peraí, turbantes já são “tendência” há mais tempo. Talvez não seja assim uma tendência, é uma questão um pouco maior, é o tal do ciganismo, é estilo pessoal, . Não  é querer ser “diferente” ou chamar atenção, é se identificar com aquilo, podendo me arriscar a dizer que é algo que vem  de dentro (profundo kk).

Colocar um turbante na cabeça e sair por aí é questão, também, de atitude. Antes de aderir a uma “tendência”, pergunte-se: “Tem a ver com o meu estilo pessoal?”, caso não tenha, esqueça. Usar turbante ou qualquer outra aposta da moda só porque todos usam, é falta de personalidade e isso não é bonito. Assim como as calças vermelhas e a oncinha foram banalizadas, o Color Blocking está sendo e daqui um mês, os turbantes.

Colocar um turbante na cabeça é tão simples quanto colocar uma camiseta branca, a questão é: tem significado pra você ou você só está colocando por colocar? Usar o que tem significado para você é muito mais interessante do que copiar literalmente o que o blog “b” ou “c” está dizendo.

Quando penso em turbantes, penso logo em duas pessoas cheias de estilo que vivem usando: Jana Rosa (It MTV) e Dudu Bertholini (Neon), usam há anos, faz parte do estilo pessoal deles, mais do que isso até, faz parte da identidade deles. Ache a sua identidade e abuse disso, não abuse do que aparece na novela ou no blog.

Pela não banalização das tendências!

Anúncios