Entrevistando: Joanna Moura

por Alexia Chlamtac

Faz algum tempo que não rola entrevista com blogueira por aqui, né? Mas é que como vocês sabem, eu sou enrolada e pra piorar a situação, não nasci pra fazer entrevistas, muito menos entrevista por e-mail. Porém, hoje tem! #alocka

Vocês já devem ter escutado falar no blog Um Ano Sem Zara, da publicitária Joanna Moura. Como o nome mesmo já diz, Joanna vai passar 365 dias sem comprar uma peça de roupa, haja força e coragem. E aí a equipe TF (eu e… bom, eu) fomos entrevistar a Jô (fazendo a íntima). E só pra constar, ela é MUITO fofa! Pelo menos, eu achei e olha que nossa conversa foi via e-mail (acredito que as pessoas tenham severa dificuldade em aparentar simpatia ou fofura via e-mail, vai entender)!

Ta, chega de blablablá, vamos ao que interessa!

legenda: TF – Tribo Fashion/ J – Joanna
 TF: 365 dias sem compras. Existe algum item que seja permitido comprar  nesse meio tempo? Cosméticos, maquiagem?
 J: Sim! Maquiagem e cosméticos estão liberados. São coisas que acabam,  tem prazo de validade e que eu não tenho muita compulsão por comprar.  Raramente gasto dinheiro com isso.
 TF: Quando você passa por uma vitrine e a vontade de comprar é  incontrolável, como você faz para não comprar?
 J: Durante o período em que estou fazendo o blog isso me aconteceu só uma  vez. Foi quando eu estava viajando e eu sempre associei viagem à compras.  Entrei na Zara pra olhar e quando ví estava no provador com um monte de  roupas. Pensei: “poxa, já cheguei tão longe! não posso fraquejar agora”.  Larguei todas as roupas em cima de uma arara qualquer e fui embora.
 TF: Você tomou uma decisão drástica, passar um ano inteiro sem  comprar. Acredita que sofria/sofre de algum tipo de compulsão, vício? 
 J: Acho que sim, até certo ponto os meus hábitos de consumo eram um  pouco compulsivos na media em que eu havia tentado diminuir as compras  algumas vezes sem sucesso. Acho também que a gente é tão incentivada a  comprar o tempo todo que todo mundo acaba caindo nessa armadilha.
TF: O que te levou a tomar a decisão de parar de comprar?
J: Cheguei num ponto da minha vida que realmente precisava rever a minha relação com o dinheiro e tentar ter uma vida financeira mais equilibrada.
TF: Antes dessa decisão, você já tinha consciência que gastava demais? Tentou controlar essa compulsão em algum outro momento?
J: Sim, sempre tive essa consciência. E ficava com a consciência pesada quando gastava demais. Já havia tentado diminuir os gastos, mas sem sucesso. A primeira coisa que deu certo foi o blog.
TF: Chegou a cometer alguma loucura relacionada a compras?
J: Não. Nenhuma loucura. Comprava pouco, mas comprava sempre. Esse era o meu problema, a frequência.
TF: Hoje em dia, existe a facilidade de compras pela internet. Muitas pessoas esquecem dessas compras por não existir o ato “passar o cartão > digitar a senha” e por não ter um comprovante. Você costumava fazer compras pela internet? Também esquecia que tinha feito?
J: Sim, já fiz compras pela internet. E realmente corre-se esse risco. Mas fazia compras pequenas, não chegava a fazer um rombo na conta.
TF: O que acha dessa facilidade das compras online e do estrago que elas podem fazer numa conta bancária?
J: Acho prático e não acho que é o fato de ser online que vai fazer com que a pessoa se endivide mais ou menos. Quem quer comprar, compra online, offline, onde for.
TF: Preferia comprar em loja física ou online?
J: Gosto mais da experiência da loja física. Mas tem marcas de fora que só dá pra comprar online mesmo.
TF: A compulsão era pra qualquer tipo de compra ou só com roupas, sapatos?
J: Eu comprava de tudo, mas sempre gostei mais de roupa mesmo.
TF: Como você tem lidado com o assédio das marcas que te oferecem jabás?
J: Não aceito. Não acho justo com as meninas que lêem o blog para se inspirarem que eu fique ganhando roupa nova. O objetivo do blog é justamente o oposto.
TF: Quando o jejum de compras acabar, o que pretende fazer? Será o fim do blog?
J: Será o fim do blog no formato que ele tem hoje. Meu armário é legal mas não dá pra ficar mais de um ano sem comprar. Mas com certeza vai surgir outra coisa talvez relacionada a comprar de uma forma mais inteligente.
TF: Qual conselho você dá para as pessoas que estão em situação semelhante a que você estava?
J: Abram os seus armários! Olhem pra tudo o que tem dentro (deixar tudo arrumadinho também ajuda). Com certeza tem coisas bacanas lá dentro.

A Joanna acabou de voltar de uma viagem de trabalho, ela estava em Cannes, na França. Ela conseguiu não comprar nenhuma peça de roupa! Essa menina é forte! hahahaha

Observação: Toda essa minha tagarelice hoje é total sem motivos, meninas, porque estou MUITO enjoada, com febre e todo um blablablá hahaha

Anúncios