Fashion Business: Maria Filó – A emoção!

por Alexia Chlamtac

Primeiro dia desfiles do Fashion Business. Primeiro desfile do dia. Primeiro desfile da história da Maria Filó. Adoro a marca, mas não sabia o que esperar do desfile. Fui sem expectativas, sem suposições. A trilha sonora do desfile mexeu comigo, a entrada da primeira modelo completou a situação.

Não era um look inovador, não era uma um look conceitual onde você vira a cabeça pro lado e fica tentando entender o que o estilista estava tentando dizer. Era simples, doce, meigo, era a cara da Maria Filó. A marca não tinha tentado mudar a sua imagem para se adequar a padrões bizarros vistos em passarelas. E bastou Daiane Conterato entrar na passarela para que eu constatasse isso e colocasse um sorriso no rosto, dos mais espontâneos e sinceros.

Daí pra frente, foi só felicidade. Não teve uma só composição que me fizesse torcer o nariz (na verdade, eu chego o corpo pra trás espantada), o sorriso continuou ali e a cada look novo que entrava na passarela, a minha cara de apaixonada aumentava. No terceiro ou quarto look, eu desisti de fotografar, estava encantada demais para ter que prestar atenção em qualquer outra coisa.

Não faltaram tendências na coleção, mas sem perder o ar leve da marca. Estava tudo muito primaveril! A minha vontade era de roubar as roupas, voar pra Paris, sentar na grama e ficar admirando o dia. A coleção me deixou com vontade de viajar para um lugar doce e romântico, algum tipo de paraíso campestre perdido por aí…

Era tudo fresco, usável e bastante comercial, mas sem perder o encanto da passarela. O clima capaz de arrebatar corações (como o meu).

Talvez um café da manhã no Parque Lage fosse suficiente ou um chá da tarde na Casa Julieta de Serpa, talvez uns docinhos franceses na Mme. Köhler. A coleção me lembrava cupcake, algodão doce, macarons, tudo bem doce e pastel, mas sem ser boring.

Uma coleção doce sem ser infantil. Trazia a luminosidade de uma mulher bem resolvida, feliz e decidida. Que coloca a barriguinha de fora sem medo de ser feliz, sem parecer vulgar.

O mix de tonalidades também estava incrível, com estampas pequenas, discretas, mas que estavam ali criando um diferencial na peça. Laranja e amarelo são dois tons muito óbvios para o verão, lembro-me que quando era pequena sempre desenha um Sol amarelo com laranja, era o que me lembrava o verão. Porém, a Maria Filó misturou as duas cores e conseguiu um resultado chique.

Os tecidos escolhidos pela marca foram responsáveis por esse ar de mulher e nada criança. O mini poderia ser vulgar (o que mais se vê por aí), mas a escolha do tecido foi tão certa no look acima que me arrisco a dizer que ficou … comportado.

Ao fim do desfile, me peguei na mesma situação que a equipe de estilo, em meio a lágrimas, a coleção realmente mexeu comigo. Aliás, foi a única em meio a tantos desfiles do Fashion Business que conseguiu essa proeza!

 

“Decoração” certa, trilha sonora certa, casting certo, maquiagem certa, tecidos certos, styling certo, estréia memorável!

 

Fotos: Reprodução

Espero assistir a muitos e muitos desfiles da Maria Filó e que todos sejam tão bons quanto o primeiro!

Anúncios