Sala de Desfile

por Alexia Chlamtac

O sonho de toda mulher que gosta de moda, ou admira, é assistir a um desfile. De preferência, na fila A. E vem chegando a época das Fashion Weeks e começa a confusão: todo mundo pedindo convite. A assessoria passa a ter um problema: acomodar todas essas pessoas. É aí que começa o problema de outras pessoas: as blogueiras.

Não culpo as assessorias. Culpo as marcas. Para começar, todos os convites deveriam ir direto para a assessoria e a equipe responsável fazer o mapa da sala de desfile. Ao invés disso, a assessoria recebe uma parcela de convites, dentro dessa parcela, uma outra parcela para imprensa. Os assessores de imprensa enlouquecem, e com razão.

Isso me levou a pensar. Não, essa não é a opinião de uma mini-blogueira que não conseguiu convite e se revoltou, é uma opinião sensata. Digamos que a sala de desfiles tenha 400 lugares, ok? E que desses 400 lugares, 200 são para a imprensa “formal” -chamo de formal as revistas e os sites das grandes jornalistas, ok?- o que acontece com os outros 200 lugares? Digamos que 10 ficam para os grandes blogs, 5 para blogs menores, e o resto? Para as clientes vips, amigos da marca, etc e tal. Tô falando que não é pra ter ” vips, amigos da marca, etc e tal”? NÃO! Tô falando que a imprensa deve ser prioridade. Devem dar prioridade a pequenos blogs, tumblrs, revistas virtuais, revistas impressas pequenas e sei lá qual outro meio. Pra começar, é uma forma de divulgação a mais, e divulgação gratuita. E qualquer marca inteligente, gostaria de uma divulgação maior. É uma ação de marketing errada. Quem chama novos clientes é a divulgação, a imprensa, vitrines bonitas. Clientes vips não vão parar de comprar na loja por não assistirem a um desfile.

Tudo movimenta muito dinheiro. E acredito, que tudo o que for feito como forma de divulgação, acaba virando lucro. E por isso, acho que, mesmo saindo mais caro, Fashion Rio/São Paulo Fashion Week deveriam ser eventos voltados para imprensa. Com atenção em distribuir releases e gift bags também, para todos, não só fila A. Pra mim, as gift bags funcionam como uma forma de mimar o jornalista, mostrar que se interessa pelo trabalho dele. E depois, ou antes, atenção aos clientes da marca, nas próprias lojas, assim atingiria aos clientes do país inteiro, dando atenção e mimando, consegue-se muito mais benefícios. E de preferência, todas as clientes e não só as vips.

Essa história de que não tem lugar na sala de desfiles, é falta de organização e de um ser pensante!

Todos os números usados aqui são hipotéticos, ok? Não sei com precisão esses dados.

Anúncios