Alexandra Farah – O luxo da brasileira

por Alexia Chlamtac

A brasileira, e principalmente, a carioca, é uma mulher despojada, que transformou flip flops (as famosas sandálias de dedo, havaianas) em algo chique. Somente as brasileiras tem o poder de usar tão bem o básico a seu favor. A brasileira possui frescor e leveza. Porém, por trás de toda essa bossa, existe uma necessidade em estar sempre cuidando do corpo. Passa do limite saudável. O luxo da brasileira é estar na moda. Não que a mulher tupiniquim seja fútil, não, ela gosta de ler, viajar, mas ainda prefere estar na moda. E estar na moda não significa apenas usar a peça tendência, vai além. É a constante busca da imagem perfeita, estar mais jovem, mais magra, seguindo os tais padrões de beleza impostos pela sociedade. Rios de dinheiro gastos em cosméticos, maquiagens, tratamentos estéticos.

A preocupação estética passou a ser algo cultural. Não percebemos mais o impacto que esses padrões têm em nosso cotidiano, e é exatamente o que passou a ser, algo cotidiano, comum. A plástica aos 40 anos, o botox aos 32, o silicone aos 28, e por aí vai… menininhas de 6 anos, e, às vezes, até antes, já usam maquiagem, alterando sua figura. Obviamente, influenciadas pelo cotidiano de suas mães. Afinal, o que levaria uma criança de 6 anos a usar maquiagem e aos 8, ter um blackberry? Não que os pais façam isso propositalmente, mas as crianças absorvem tudo aquilo que vêem. E foi assim que, nós mulheres brasileiras, fomos criando essa obsessão pela perfeição em nossa fisionomia, preocupando-nos demais com o externo e muitas vezes, esquecendo do interno. O corte de cabelo, o formato da sobrancelha, o tipo físico, a unha, o batom, o esmalte e até a calcinha, cada detalhe na nossa imagem acaba sendo influenciado por padrões comportamentais da sociedade. Não acho que seja de todo ruim, afinal o mundo é feito de regras, não seria diferente no comportamento, forma uma homogenia.

Volte na sua infância: dos anos 50 para cá, meninas do mundo inteiro foram influenciadas pela cinturinha fina da Barbie, seu bronzeado, cabelo loiro e olhos claros. Pense: até hoje, um pouco mais velhas, preferimos pessoas loiras, de olhos azuis e bronzeadas. Todas queriam um Ken em suas vidas, haha.

Os nossos costumes de banho várias vezes ao dia, depilação mais…completa, salão toda semana, passaram da questão higiênica. Sim, o clima influência, e talvez o clima tenha influenciado nessa obsessão, vai saber. Queremos estar sempre belas. Seguir essas tendências estéticas significa fazer parte da sociedade, e quem não quer isso? E isso tudo, acaba gerando insegurança dentro de cada mulher, a partir do momento em que passamos a nos preocupar mais com o exterior do que com o interior, vai existir uma descompensação dentro da pessoa e sendo assim, ela vai se tornar mais insegura e mexer mais ainda na sua aparência. Não estou dizendo que toda mulher que se cuida seja assim, estou me referindo as obsessivas, que fique claro.

O nosso luxo pode parecer fútil, mas faz um bem danado ao nosso ego, e o que somos nós sem ego?

Anúncios