Coisa linda!

por Alexia Chlamtac

Após sair do workshop do Dudu, fui até a Livraria da Travessa, em Ipanema. A Gabi precisava ocupar o tempo até a hora de ir para o aeroporto. Só consegui pensar na Livraria da Travessa. Estávamos olhando uns livros de moda (é claro!) e logo depois, a Gabi lembrou de um livro sugerido pelo Dudu Bertholini e foi atrás de um atendente. No caminho, vi a criança mais fofa do mundo. Não, ela não era branca, loira e de olhos claros, pelo contrário.

Hoje em dia, me irrito ao ver crianças que se vestem como adultas em miniatura. Coisinhas pequenas de salto alto, batom, etc e tal. Ok, eu passei por essa fase, mas não ficava o dia inteiro pendurada num BlackBerry. E sim, paro para pensar e só vem uma coisa na minha cabeça: “como eu era ridícula”. Criança taí pra ser confortável, se divertir, não pensar no dia de amanhã. Ok, eu ainda sou uma criança também, mas elas são mais novas, ah, vocês entendem, né? hahaha. Enfim, também não quero dizer que crianças devam se vestir de moletom, tênis, bregamente, beijo e vambora. Nanão! Crianças estilosinhas (vestidas por mães estilosinhas, melhor dizendo), me encantam, são a coisa mais fofa. A menina da Travessa era assim, bati o olho nela e babei, fiquei tímida, com medo de me aproximar e pedir uma foto. Ela estava com um homem, deduzi que fosse o pai e pais não são simpáticos. Foi quando estava me aproximando, que chegou uma mulher, entregou um livro pro cara (que já estava pagando seus outros livros). Achei ótimo, a criança tinha uma mãe por perto, ela virou e eu fui atrás dela, gentilmente a chamei e perguntei se podia tirar uma foto da criança. Estava gelada, esperando um não. Ela riu e disse que eu deveria perguntar ao pai da garotinha, ela perguntou por mim e ele disse que sim. Nesse momento, ela começou a fazer charme (é, ela não estava se escondendo, estava fazendo o serviço dela, hahaha) e não parou mais quieta e como péssima aspirante-a-metida-a-fotógrafa (ufa!) que sou, não tirei uma foto decente da pequena. Assim que tirei as fotos, agradeci e vi que os livros que o pai dela estava pagando, eram todos de moda. Sorri e fui atrás da Gabi.

Eu quero um botão de tartaruga pra mim

Fotos mais amadoras impossível, foco péssimo, mas a menininha é tão linda, tão fofa, precisava compartilhar.

Anúncios