McQueen

por Alexia Chlamtac

Em 17 de março de 1969, nascia Lee Alexander McQueen, o caçula de seis irmãos. Deixou a escola aos 16 anos para trabalhar na Anderson & Sheppard, tendo clientes como Príncipe Charles e Mikhail Gorbachev. Na década de 90, entrou na Central Saint Martins, fazendo parte do mesmo grupo que John Galliano e Stella McCartney.

McQueen era abertamente gay e no verão de 2000, casou-se com o cineasta George Forsyth, tendo a top Kate Moss como dama de honra.

A editora britânica Isabela Blow comprou sua coleção de encerramento na faculdade, vindo depois a ser sua mentora e melhor amiga. Blow também aconselhou-o a usar o nome “Alexander McQueen”. Ao sair da faculdade, abriu sua própria marca, que levou seu “novo” nome, no East End de Londres. Em 1996, substituiu Galliano na direção criativa da Givenchy. Em 2001, saiu da Givenchy e assumiu o mesmo cargo na Gucci. Chegou a fazer parcerias também com a Puma e com a Target.

O estilista “bad boy” conhecido como o “mestre do fantástico”, ficou famoso por suas coleções dramáticas, muitas vezes chegando ao bizarro. Alexander não seguia tendências, não abria mão do vermelho, era avesso a entrevistas, causava polêmica e adoração instantânea. Suas extravagâncias chamaram atenção de celebridades que fizeram suas peças virarem as verdadeiras estrelas de red carpets. Vestiu de Beyoncé, Fergie, Rihanna, Janet Jackson, Mary J. Blige, Björk, a excêntrica Lady Gaga, Sarah Jessica Parker, Cameron Diaz, Sandra Bullock, a top Naomi Campbell, Rachel Weisz, Cate Blanchett, Anna Paquin, Katie Holmes, Camilla Belle e até a primeira dama americana, Michelle Obama.

O seu desfile na semana de moda de Paris era o mais esperado de seus trabalhos,  o estilista morreu no auge da carreira. Alexander McQueen revolucionou a moda, encantou o mundo. As passarelas sentirão falta de suas cores, ousadia, rebeldia e irreverência. O mundo fashion lamenta a morte do Insubstituível.

E agora, alguns meses após a morte do mestre, Sarah Burton, sua protegida, continua seu legado. Começou a trabalhar com o estilista em 1996 e em 2000, foi nomeada chefe do departamento feminino da marca. Sarah promete manter o padrão McQueen da grife. Ela debuta em novembro, com cocktail dresses baseados na arquitetura, em branco neve e laços de renda.

Anúncios